Sexta-feira, 14 de Maio de 2010

Acordar

Quando algo corre mal, tudo corre mal...
Quando decidi aceitar o caminho que tinha escolhido, o caminho mudou.
Agora, perdido, procuro na escuridão o caminho perdido ou outro, simplesmente com a intenção de continuar a dar passos, não interessando a direcção.
Em frente vejo o abismo que eu próprio construí ao longo dos tempos e do qual me tentava distanciar cada vez mais.
Exausto, pergunto se não terá sido tudo um pesadelo. A resposta chegará com o tempo...

Apenas quero acordar, seja num caminho repleto de flores e luz ou no caminho oposto, o das trevas. Quero que o tempo passe e que chegue o futuro, bom ou mau, e poder continuar a caminhar, errando, levantando-me, chorando e rindo.

Acordar e que seja manhã.


Alma às 22:31
| comentar
2 comentários:
De a 21 de Março de 2014 às 11:15
Gostei do blog!


De Alma a 21 de Março de 2014 às 13:07
Obrigado


Comentar post

publicados 111 posts:

Tesouros escondidos

Dez minutos

Espero algum dia voltar a...

Dilema

Encontro

Destino

Precisa-se

Pensamento do dia

Vida exemplar

Não me apetece dar título...

A idade interessa?

Infiel... ser ou não ser

A seu lado

Deixa-me entrar

Parabéns ao meu blog...

Encontro com Satanás

Manada cruel

Chocolate

Contigo...

Cinderella

Mendigo

Musica do dia

Sorriso à Lua

Parabéns ao meu blog...

O vento

Palavras

Uma Europa Hipocrita

Vida

É hoje

Ontem, tu e eu

Escudo de pedra

Acordar

E agora...

Festa

O nosso caminho

Percepção do tempo

Desculpa, ainda não sou c...

Escrever um livro...?

Carta à minha filha

ADEUS

Sentimento de impotência

A tempestade

Tudo muda

Teimosia

Sinto a tua falta

Respeito

Um horizonte de possibili...

Onde nasce o ódio

Dizem que

A busca

posts por mês:

Abril 2014

Fevereiro 2014

Abril 2012

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Novembro 2010

Setembro 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Fevereiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

mais sobre mim:

almas penadas