Domingo, 26 de Julho de 2009

Pior cego é aquele que não quer ver

 

Sempre disse que a ignorância e a superstição são as piores doenças da humanidade. Há um ditado que diz: "A sabedoria é a mistura da inteligência com a bondade, porque a inteligência por si só é diabólica". Se de repente toda a gente ficasse já não digo sábia, mas instruída, a primeira coisa que faziam era dizer aos políticos e dirigentes um redondo "não queremos participar na vossa loucura".

 

Há outro ditado que diz: "O pior cego é aquele que não quer ver" Um dos defeitos que ao longo da vida pude corrigir em mim foi o da crítica fácil. Só quando se alcança uma certa maturidade e sabedoria ao longo da vida aprende a não criticar sem ter a necessária autoridade moral, ética e intelectual. Agora com a minha bagagem de vida, quando vejo que alguém está enganado, tento não o criticar e muito menos dizer-lhe que está louco, delicadamente convido-o a que se informe melhor sobre o tema que está a expor.

Grandes personalidades como Copérnico, ou muitos outros cujas descobertas foram um avanço para a ciência e o desenvolvimento, foram sentenciados e queimados vivos simplesmente porque a ignorância dos seus semelhantes não lhes permitiu ver a verdade, a verdade do que levariam os avanços das suas descobertas. É sempre mais cómodo e fácil situar-se na crítica e na desqualificação sem ter ideia daquilo que se critica ou desqualifica, do que pôr-se a pesquisar e trabalhar para adquirir conhecimentos e ter maior nível de consciência dos assuntos de que se fala.

Porque é que os malvados, aqueles que encontramos ilustrados na nossa história, abusaram sempre dos ignorantes e incultos? Por isso mesmo, pela ignorância. Um ignorante é sempre muito mais perigoso que o seu senhor, o seu chefe ou o seu governante. Se pegarmos num pobre ignorante, lhe dermos um pedaço de pão e circo, e lhe dissermos que a terra é plana e não esférica, e que todos aqueles que digam o contrário são seus inimigos, o que acontece? O ignorante converte-se num radical e um extremista que até dá a sua própria vida em defesa daquilo que o seu chefe egoísta lhe meteu na cabeça quando comia o pedaço de pão.

E foi sempre assim que funcionou a sociedade ao longo da história, e ninguém cometeu mais crimes desde que o homem é homem, que a ignorância e o fanatismo, seja ele científico, político ou religioso, sendo este último o pior de todos. A sociedade é fanática pelos seus lideres políticos e religiosos, o homem renunciou sempre a sua condição de ser humano e renunciou a sua soberania e capacidade de se auto governar, para pô-la nas mãos desses espertos que os enganaram como se faz aos burros, seguindo a cenoura que nunca se irá comer, enquanto fazem o trabalho duro em benefício dos seus donos egoístas.

Com o devido respeito, que isto sirva de clarificação e não de desqualificação ou insulto a alguém. Digo isto com a mais absoluta sinceridade e sem intenção de insultar ninguém, isso que fique bem claro. Mesmo assim, se ferir susceptibilidades, peço desde já as minhas desculpas.


Alma às 09:00
| comentar

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

posts por mês:

Abril 2014

Fevereiro 2014

Abril 2012

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Novembro 2010

Setembro 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Fevereiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

tags

todas as tags

mais sobre mim:


quem sou?

seguir perfil

. 20 seguidores

almas penadas